sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Rei da Jordânia, a rainha e o Brasil


O Rei da Jordânia desembarcou em Brasília onde foi se encontrar com o presidente Lula e assinar acordos. Esse país - inclusive podemos encontrar uma das sete maravilhas do mundo contemporâneo, a cidade de Petra, possui um política pró-ocidental - o que tem trazido investimentos estrangeiros ao país.
O antecessor, seu pai, Hussein ibn Talal governou entre 1953 até 7 de fevereiro de 1999. Ele pertence a dinastia dos Haxemitas, cujos membros se consideram descendentes de Maomé. Procedeu a uma modernização do país e das forças armadas, tendo nesse último caso recebido assessoriamento dos EUA.
Em 1961 casou (vários casamentos) com uma inglesa, Antoinette Gardner, que mudou o seu nome para Muna e com a qual teve o príncipe Abdullah coroado rei em 9 de fevereiro de 1999. O herdeiro do trono seria seu irmão Talla I mas o pai decidiu destituir de tal título transferindo a Abdullah.
O rei Abdullah II, então, segue a política do pai, embora não ter petróleo o seu país é a favor da paz de Israel. Grande parte da população, cerca de cinco milhões, é descendente de palestinos, sobretudo, sua mulher, linda por ocasião, a rainha Rania (casou-se em 1993).
Ela nasceu no seio de uma família palestiniana oriunda da localidade de Tulkan na Cisjordânia. Percebeu? ; que se mudou para o Kuwait à procura de melhores condições de vida. Na época da invasão do daquele país pelo Iraque de Saddan Hussein, em 1990, ela e sua família mudaram-se para a Jordânia. Ali conheceu o então príncipe num jantar.
A rainha Rania luta contra o preconceito, acabar com os estereótipos ligados aos árabes e ao islã no Ocidente.
A aproximação da monarquia está em melhor momento e a visita representa uma oportunidade para duas economias que são complementares. O Brasil é um país forte no setor agrícola, ao passo que a Jordânia é grande fornecedora de fertilizantes.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Dick Farney

Voltamos à década de 50 para lembrar da bossa nova, momento muito importante que contagiou toda nossa cultura. Mas não dá para entedender todo esse rico panorama se deixar de lado Dick Farney um grande artista brasileiro. Nasceu em 14 de novembro de 1921 no Rio de Janeiro. Infelizmente ele não está mais entre nós. Em 1946 ele grava "Copacabana", de Alberto Ribeiro e João do Vale. É notável a presença dele no seu jeitinho de cantar. Depois dele veio a bossa nova. "copacabana" é um samba-canção genial.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Jovens tribeiros

O curso Ação Tribos na Trilha da Cidadania ainda está em andamento e continua nos dias 27 deste mês e 3 de novembro. A Tribo como escrevi em um post anterior, grupos de jovens de várias escolas estaduais e particulares que reúnem-se e exercitam o volutariado em sua comunidade. Lá ocorre muito bate-papo sobre os problemas sociais com variadas atividades dinâmicas.

Jovens tribeiros, nos encontros, no colégio Paula Soares.






Idéias compartilhadas entre os jovens tribeiros.



Oficina de grafitagem no colégio em novembro (os alunos da escola mostraram a escola e as grafitagens nos muros)




domingo, 19 de outubro de 2008

Oficina de Hip Hop

Na oficina de Hip Hop os alunos elaboraram uma letra e ensairam. Eles até se batizaram como Hip hopeiros do Jerônimo.

video

Oficinas

No Dia do Professor a Escola Estadual de Ensino Fundamental Jerônimo de Ornelas junto com o CPM organizou oficinas de Hip Hop, B-Boys e grafitagem sob coordenação do comunicador Manoel Soares.

Oficina de Hip Hop



Oficina de B-Boys



Ofinica de grafitagem





sábado, 18 de outubro de 2008

Conteúdo do Blog

Passado um mês que fiz este blog e pelo comteúdo diversificado. Hoje vou escrever como está organizado este site que permite interação entre eu o leitor ou, ainda, entre os leitores. Você pode acompanhar o número de pessoas a ver esse site (no final da página). Clicando no widget (botão laranja) traz quantas pessoas foram ou estão simultaneamente no blog. Além dessa ferramenta, o site possui um contador registrando a presença dos visitantes. Também usei outra ferramenta, somente para Porto Alegre, "tempo e clima". Clicando nele encontramos detalhes sobre o tempo. Ainda, possui o comando de rádio, 96 FM, (no final da página) podendo ouvir música.
Quanto ao conteúdo, foram publicados os seguintes assuntos:
Atualidades
-20 anos da Constituição
-Nós e a crise americana
-Trabalho infantil
-Uma base do nazismo no Brasil
-Partido Nazista no Brasil

História do Brasil
-Viagem da família real (video)
-Independência política
-O Brasil dos viajantes
-Releituras de obras clássicas

História Contemporânea
-Revolução Russa (video)

História do RS
-Revolução Farroupilha

Atividades lúdicas
-Publicações dos poemas
-As eleições municipais
-O museu na escola
-Os pôsteres dos simbolos do RS
-O piquete Jerônimo de Ornelas

Oficinas
-Tribo
-Poemas
-Fotografias


Recursos didáticos em sala de aula
-Slides de História do Brasil
-A leitura do Boca
-Desvende
-A leitura de mapas históricos
-Site de História recomendável
-Sites para pesquisas

Metodologia
-ensino de história

Índice
-Nova seção
-adendo
-conteúdo do Blog

As postagens (textos) são minhas colocações, opiniões, reflexões. Costumo sempre que abro as páginas do jornal ou clicar num link de uma agência de notícia ler tentando entender todo o contexto em que determinada notícia está inserida, buscando entender o que o autor da matéria tentou transmitir ao leitor. Daí a idéia do blog. Também as citações de fontes (artigos, reportagens, resenhas, periódicos, figuras entre outros) sempre que possível um link para poder saber mais sobre o tema.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Partido Nazista no Brasil

O Partido Nazista funcionou legalmente aqui no nosso país de 1928 a 1938. Não tem nada a ver com o integralismo. A reportagem de domingo falava da descoberta de uma base nazista em Campinas do Monte Alegre (e não Cruzeiro como escrevi no último post sobre o tema)interior de São Paulo. A fazenda do Cruzeiro do Sul era uma enorme fábrida, 16 mil alqueres, que mantinha menores (negros) trabalhando em condições de escravidão. Vale ressaltar os negros, porque, além do ódio aos judeus, os nazista tinham aversão aos negros.
O trabalho de Ana Maria Dietrich é muito bom. Ela analise os mecanismos utilizados pela polícia do Estado Novo na repressão, controle e vigilância daqueles considerados suspeitos.
Getúlio Vargas foi maquiavélico, usando as palavras de Edgar De Decca, depois de construir a imagem da Revolução de 30, passou a se dedicar à construção de uma ameaça comunista. Para tanto Getúlio foi auxiliado pelos integralistas, inventando, sobretudo, um plano Cohen que descrevia as ameaças de um levante comunista no país. Em 1937, fazendo propaganda dessa ameaça, ele obteve o consentimento das elites políticas para a suspensão das eleiçãos presidenciais e decretou a ditadura do Estado Novo. Ele estalou uma ditadura pessoal e demonstrou grande simpatia pelos movimentos fascistas e nazistas.
Não foi somentes os comunistas foram manipulados pelo ditador (Getúlio), algum tempo depois do golpe de 37, os integralistas, adeptos do fascismo e do nazismo acabaram sendo vítimas da sua política personalista. Assim, o integralismo caiu na ilegalidade, junto a todas as outras organizações políticas, sobretudo, o partido nazista. O nazismo foi disseminado em todos os segmentos da comunidade alemã de São Paulo, pasme, a história do partido nazista registra-se em todo o território brasileiro, em 17 estados, segundo a historiadora. A perseguição ocorreu durante quatro anos e era comum os alemãs, aqui, preservarem seus hábitos nazistas como a típica saudação "Heil Hitler!", uniformes, a suástica.
O documentário de Sylvio Back "Aleluia Gretchen", produzido em 1976,Conta a história de uma família que foge da Alemanha nazista e que desembarca no Brasil. Eles adquirem um hotel, que se torna ponto de simpatizantes do nazismo, e enfrentam muitos problemas de adaptação. É ótimo e mostra bem isso que estou escrevendo.
O curioso da reportagem é o depoente negro Aloizo da Silva, 85 anos, em citar a saudação "Anauê", embora humilde e com pouco estudo não soube dissociar esta saudação com aquela primeira citado nas primeiras linhas desse texto. Ele, na época, tinha 10 anos, logo mostrava o trabalho infantil, principalmente, de negros. Contava os castigos crueis, quando da desobediência. Ficavam presos no fundo poço.
A historiadora critica o método arbitrário adotado pela polícia política. Ao utilizar-se da repressão generalizada, o Departamento Estadual de Ordem Política e Social deixou escapar os grandes responsáveis pelo Partido Nazista no Brasil e prendeu aqueles que pouca ou nenhum relação tinha com o Parido.
Na reportagem mostrou o receio, ainda, dos proprietários a divulgar as descobertas. Percebeu?

Capa do livro "Caça às suásticas, o Partido Nazista em São Paulo sob a mira da Polícia Política", de Ana Maria Dietrich.



Saiba mais:
Estudo analisa repressão da polícia política
ao Partido Nazista em São Paulo

domingo, 12 de outubro de 2008

A Fazenda Nazista

Assisti o noticiário de domingo à noite de uma rede nacional de televisão (Tv Record), dia 12, sobre a fazenda nazista. Essa fazenda localizada no interior do estado de São Paulo na cidade Cruzeiro, foi encontrado por em empregado de um proprietário tijolos com desenhos impressos com marca da suástica. A reportagem também mostrou depoimento do negro Aloizo Silva, uma testemunha da época que trabalhou em condição de escravidão aos simpatizantes do nazismo nas décadas de 30 e 40 do século XX. Segundo conta, ele era identificado como o número 23. Eram meninos negros 1 a 50 levados do Rio de Janeiro para ao interior paulista com promessas de uma vida digna e feliz, quando, na verdade, eles recebiam a enxada e uma jornada de trabalho a cumprir a exaustão na fazenda. O depoente conta, também, do sinal de saudação (anauê) que eles deviam fazer aos simpatizantes nazistas.
A reportagem entrevistou Ana Maria Dietrich, professora de História Contemporânea da Universidade Federal de Viçosa. Ela estuda o tema nazismo no Brasil, pela USP, há 13 anos, sobre o título "Caça às suásticas analisa a repressão ao partido nazista em São Paulo na Era Vargas". O grande objeto de pesquisa de Caça às suásticas é a história da repressão ao Partido Nazista no Estado de São Paulo. Esse trabalho pode se encontrado na internet e está disponível em: Revista de artes e humanidades

Manifestantes do Movimento Integralista realizam o gesto



Fonte iconográfica: Wikipédia, a enciclopédia livre.

12 de Outubro

O Dia 12 de Outubro no Brasil foi criado por um político, na década de 1920. Mas somente em 1960, quando a Fabrica de Brinquedos Estrela decidiu fazer uma promoção em conjunto com a Johnson & Johnson, para aumentar suas vendas, lançando a "Semana do Bebê Robusto", é que a data passou a ser comemorada.
A estratégia deu certo, que desde então quando chega essa data o que se vê é mais um dia para consumir e agradar o deus mercado.
O Dia da Criança é importante se lembrado, pois ela teve sua infância vergonhosamente roubada, sua dignidade negada e sua precária força de trabalho explorada.
Claro que trabalho infantil não tem nada ver com ajudar os pais em casa. Esse trabalho tem a ver com a condição de escravo ou semi-escravo. Historicamente, o trabalho infantil tem seu início paralelamente ao do próprio trabalho desde que o ser humano passou a depender da agricultura de subsistência. Tem suas raízes ligadas à escravidão, ou seja, desde os primórdios da humanidade existe a exploração do homem pelo homem, e juntamente, do trabalho infantil, pois se existia escravidão por dívidas, e quando se conquistavam novos povos, claro que não se pouparam às crianças que, possuíam braços para trabalhar, assim como os adultos. No caso da escravidão por dívidas, os credores utilizavam a força de trabalho dos filhos dos devedores para aumentar seus lucros.
O trabalho infantil mostrou presente na Idade Média e principalmente, na Revolução Industrial.
Não há como evitar a exploração que ocorreu, mas há sim como buscar erradicar o que ainda existe. Um dos passos fundamentais a serem dados para tal é a conscientização social, porque a sociedade precisa mobilizar-se exigindo das autoridades a responsabilidade que lhes cabem, fazendo a sua parte através de ONGs, e mesmo mudando de atitude, onde cada um fizer a sua parte, por menor que seja, não dando margem a qualquer tipo de exploração da mão-de-obra infantil.

O mercado internacional ignora que por trás de uma commodity lucrativa pode estar o trabalho infantil e a guerra civil

A crise


A crise é mais séria que atingiu os Estados Unidos desde 1930. Mas não presenciaremos uma crise da dimensão daquela. A origem de toda essa turbulência estava sob a batuta de Greenspan (antecessor de Ben Bernanke). O Banco central americano praticou taxas de juros muito baixas, negativas até, o que impulsinou o mercado de crédito. Outra crítica mais consistente que poderia ser feita ao Partido Democrata é que o governo Clinton (1993-2001) foi um dos responsáveis pela desregulamentação que possibilitou esse caos. O atual presidente apenas a radicalizou mais um pouco. Agora a cavalaria heróica americana formada pelo secretário do Tesouro (Paulson), FED (Ben Bernanke), e a presidência (Bush júnior) simplesmente socializaram os prejuízos dos ricos.
O paradoxo dessa situação da economia de reduzir o papel do Estado (neoliberalismo), substituindo-o pelo mercado, terminou aumentando-o.
No Brasil a crise não chegará em grande dimensão, embora os Estados Unidos continuam nossos maiores compradores com 2,411 bilhões em média ao mês. Mas nosso país está mais arrumadinho, com contas internas saudáveis, crédito em crescimento e, principalmente, possui um sistema financeiro extremamente sólido. Apesar de a Bolsa brasileira registrar as maiores quedas dos preços das ações nos últimos dias, o impacto sobre a vida do brasileiro e das empresas, ao mercado será restrito.
Segundo o professor da Universidade de Nova York, Nouriel Roubini, uma ação coordenada dos bancos centrais do mundo todo (para baixar o juro) poderia ajudar a reduzir os efeitos da crise: no último dia 29, quando o FED irrigou diretamente o mercado com linhas de crédito de 600 milhões de dólares. Na Europa, muitos bancos atuaram no mesmo sentido. Ainda assim, as taxas de juros interbancárias estão muito altas em razão da desconfiança. Ninguém emprestará para ninguém até que o cenário fique mais claro. Um corte de juro generalizado daria fôlego aos mercados emergentes, faria crescer a confiança nos desenvolvidos. Não resolveria a crise, mas seria um ponta pé para que a recessão nos Estados Unidos e Europa fosse mais amena.


Fonte: uma série de artigos sobre o tema de autores como Márcia Pinheiro, Luiz Carlos Azenha, Antônio Delfim Netto, André Siqueira, Antônio Luiz M. C. Costa e Luiz Gonzaga Belluzzo da revista CartaCapital, edições 517, 516, 515, 514 e 513 desse ano.

sábado, 11 de outubro de 2008

TRIBOS

A Tribo é um grupo de jovens de várias escolas, públicas e privadas, discutindo assuntos sociais (prostituição, drogas, fome, alcoolismo entre outros). Os jovens exercitam o empreendorismo, por meio do voluntariado organizado, em ações nas suas comunidades. Ela (Tribo) é de iniciativa da Parceiros Voluntários, que é mantida por grandes empresas descrito no material institucional da ONG. A Escola Estadual de Ensino Fundamental Jerônimo de Ornelas há muito tempo participa dessa ação nas trilhas da cidadania.

Cartaz da marca Tribo, em 2007, na redenção, tradicional parque da cidade.


Alunos da escola que registraram presença na Tribo.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

5 de Outubro de 1988


Passados 20 anos, a Carta Magna vive a sua contradição, mas um avanço a democracia. A sétima da República e a segunda mais longa. A primeira que excluia analfabetos, mulheres, mendigos. A constituição de 1891. Mas a mais longa foi a de 1824, quando o país era uma monarquia, que era mais excludente que a primeira(da República). As gerações mais antigas se lembram e a geração coca cola já viu ou ouviu falar daquela imagem histórica, na época, o presidente do Congresso Constituinte, Ulysses Guimarães, com a voz encharcada de esperança, a promulgação da Constituição Cidadã.
De lá até hoje, ela teve 55 emendas e ainda aguarda leis para vigorar plenamente.
Há mais de 1.107 propostas de emendas constitucionais tramitando na Câmara dos Deputados. Há propostas de reforma política, tributária, judiciária e educacional. Há, também, quem sonhe com uma nova Carta para substituir a velha. Nos assusta quanto as inúmeras propostas debatidas no Congresso e pouco se sabe delas. Dependemos de políticos honestos, éticos, democráticos, críticos para que a Constituição não prejudique o trabalhador.

domingo, 5 de outubro de 2008

História do Brasil

A projeção de slides é um recurso fantástico para se utilizar em sala de aula. Aconselha, na maneira do possível, utilizar este recurso. Publico slide no power point a aula de História do Brasil Colônia Parte 1, Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães (Juazeiro - BA) - Professora Jackeline Póvoas. Disponível em: slideshare



Aula Historia Brasil Jack
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: historia brasil)

sábado, 4 de outubro de 2008

1808 - A viagem da família Real

O livro "1808 - A viagem da família Real" é o primeiro infantil sobre o tema no País lançada pela editora Caramelo. O autor do livro é Gilson Barreto. Ele é médico formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. Assista a entrevista feita pela TVB (uma emissora de televisão brasileira afiliada ao SBT na região da Baixada Santista, fundada em 1992). O autor conta a história dos amigos Lucas e Bimbo que decidem atravessar o oceano Atlântico para chegarem a Portugal, mas quando estão quase chegando em Lisboa, uma forte tempestade os obriga a pousar o avião na água, e os dois são salvos pela tripulação da caravela que está levando a família real para o Brasil. Detalhe é D. João VI o narrador. Ele fez para o público de 6 a 12 anos. O livro é todo ilustrado em aquarela.


sexta-feira, 3 de outubro de 2008

“A Fórmula do Amor”

Neste mês o 2º poema resultado das avaliações de trabalho da Oficina de Poemas ocorrido de 30 de junho a 25 de agosto do corrente ano(7 encontros). Esse poema é de autoria da aluna Paula, 6ª Série.

“A Fórmula do Amor”

Echylem

Categoria juvenil

Tudo o que há de bom em mim;
É o motivo do nosso “amor”;
A paixão me deixou assim;
E eu fique de bobeira;
Não importa a onde a gente está;
Que o lugar vira uma fogueira;
Ta difícil de segurar;
Não é brincadeira;
Me pede e a gente volta à namorar;
Me excita, me acalma e dá sede;
Me beija na boca e me ama;
Se estamos sozinhos;
Rolam tantos carinhos;
Nosso Amor é demais;
A loucura e os desejos não param;
Quando a gente se encontra me dá febre
de Amor
meu corpo incendeia;
É a loucura da “Fórmula do Amor”.

A Fórmula do Amor;
É feita com os seguintes ingredientes;
500 gramas de carinho;
200 gramas de compreensão;
200 gramas de felicidade e;
100 gramas de afeto.
Se somarmos tudo teremos;
1000 gramas do mais;
Lindo, puro e verdadeiro “Amor’.

Se você ser carinhoso;
Compreensivo e feliz;
Com as pessoas e com;
Você mesmo;
Pode se sentir satisfeito;
Para saber que você;
Está vivendo;
O momento mais feliz de sua vida;
Tudo isso está somado;
A Fórmula do Amor.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

O Brasil monárquico I

Começarei nesta quinta a escrever sobre o processo de emancipação do Brasil, uma releitura da obra clássica "História Geral da Civilização Brasileira". Essa obra é composta em 11 volumes - dois dedicados à época colonial, cinco ao Brasil monárquico e quatro ao Brasil republicano - constituem num acervo indispensável para o período histórico. Minha fonte é do Tomo II, volume 1, sob direção de Boris Fausto, 11ª edição, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, ano 2004.

Aspirações de infidelidade à Coroa
Não é fácil determinar quando as pessoas comuns da América portuguesa começam a se sentir-se unidos por vínculos mais fortes do que todos "os contrastes ou indiferenças" que separam a Colônia e a Metrôpole. As rebeliões indígenas, negras, anicoloniais nativistas são manifestações contra o rei de Portugal. Houve mesmo influências das revoluções liberais européias (francesa e inglesa). Mas a chegada da família real no Rio de Janeiro abreria um novo capítulo na história.
Mais importante ainda é pensarmos no pensamento de infidelidade à Coroa, na época era a tradução de inconfidência. Os inconfidentes estavam dispostos a outra realidade.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O Brasil dos viajantes


Sabemos que o corrente ano se comemorou a chegada ao Brasil da família real. Em números redondos, 200 anos, se passou esse momento da história. A partir de 1808, chegaram a América portuguesa (assim era chamada, na época, o Brasil) pintores, desenhistas, cientistas, arquitetos e diplomatas que registraram as paisagens, as gentes, os costumes e os acontecimentos.

D. João VI quis decorar os palácios com obras de arte. Na época usava-se cobrir as paredes com grandes telas representando paisagens, retratos e cenas históricas. Debret aceitou o convite e partiu para o Brasil. As pinturas dele permite acompanhar a vida da Corte no Brasil e conhecer o ambiente que os rodeava.

Canal de filmes LavTV

Canal de filmes LavTV
filmes 24 horas

Charge

Charge

charge

charge

Charge: Latuff e o massacre no Pinheirinho*

Charge: Latuff e o massacre no Pinheirinho*

A história secreta da Rede Globo

Resuno do documentário: Beyond Citizen Kane (no Brasil, Muito Além do Cidadão Kane) é um documentário televisivo britânico de Simon Hartog produzido em 1993 para o Canal 4 do Reino Unido. A obra detalha a posição dominante da Rede Globo na sociedade brasileira, debatendo a influência do grupo, poder e suas relações políticas. O ex-presidente e fundador da Globo Roberto Marinho foi o principal alvo das críticas do documentário, sendo comparado a Charles Foster Kane, personagem criada em 1941 por Orson Welles para Cidadão Kane, um drama de ficção baseado na trajetória de William Randolph Hearst, magnata da comunicação nos Estados Unidos. Segundo o documentário, a Globo emprega a mesma manipulação grosseira de notícias para influenciar a opinião pública como o fez Kane. O documentário acompanha o envolvimento e o apoio da Globo à ditadura militar, sua parceria ilegal com o grupo americano Time Warner (naquela época, Time-Life), a política de manipulação de Marinho (que incluíam o auxílio dado à tentativa de fraude nas eleições fluminenses de 1982 para impedir a vitória de Leonel Brizola, a cobertura tendenciosa sobre o movimento das Diretas-Já, em 1984, quando a emissora noticiou um importante comício do movimento como um evento do aniversário de São Paulo e a edição, para o Jornal Nacional, do debate do segundo turno das eleições presidenciais brasileiras de 1989, de modo a favorecer o candidato Fernando Collor de Mello frente a Luis Inácio Lula da Silva), além de uma controvérsia negociação envolvendo acções da NEC Corporation e contratos governamentais. O documentário apresenta entrevistas com destacadas personalidades brasileiras, como o cantor e compositor Chico Buarque de Hollanda, os políticos Leonel Brizola e Antônio Carlos Magalhães, o publicitário Washington Olivetto, os jornalistas Walter Clark, Armando Nogueira, Gabriel Priolli e o atual presidente Luis Inácio Lula da Silva. O filme seria exibido pela primeira vez no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro do Rio de Janeiro, em março de 1994. Um dia antes da estréia, a polícia militar recebeu uma ordem judicial para apreender cartazes e a cópia do filme, ameaçando em caso de desobediência multar a administração do MAM-RJ e também intimidando o secretário de cultura, que acabou sendo despedido três dias depois. Durante os anos noventa, o filme foi mostrado ilegalmente em universidades e eventos sem anúncio público de partidos políticos. Em 1995, a Globo tentou caçar as cópias disponíveis nos arquivos da Universidade de São Paulo através da Justiça Brasileira, mas o pedido lhe foi negado. O filme teve acesso restrito a essas pessoas e só se tornou amplamente vistos a partir da década de 2000, graças à popularização da internet. A Rede Globo tentou comprar os direitos para o programa no Brasil, provavelmente para impedir sua exibição. No entanto, antes de morrer, Hartog tinha acordado com várias organizações brasileiras que os direitos de televisão não deveriam ser dados à Globo, a fim de que o programa pudesse ser amplamente conhecido tanto por organizações políticas e quanto culturais. A Globo perdeu o interesse em comprar o programa quando os advogados da emissora descobriram isso, mas o filme permanece proibido de ser transmitido no Brasil. Entretanto, muitas cópias em VHS e DVD vem circulando no país desde então. O documentário está disponível na Internet, por meio de redes P2P e de sítios de partilha de vídeos como o YouTube e o Google Video (onde se assistiu quase 600 mil vezes). Contrariando a crença popular, o filme está disponível no Brasil, embora em sua maioria em bibliotecas e coleções particulares.

A história e os aspectos do racismo pelo mundo

Sinopse da Série: Como parte da comemoração do bicentenário da Lei de Abolição ao Tráfico de Escravos (1807), a BBC 4, dentro da chamada "Abolition Season", exibiu uma série composta por três episódios, independentes entre si, abordando a história e os aspectos do racismo pelo mundo. São eles: "A Cor do Dinheiro", "Impactos Fatais" e "Um Legado Selvagem". Episódio 1 A Cor do Dinheiro: O programa examina as atitudes de alguns dos grandes filósofos em relação às diferenças humanas, incluindo a abordagem das implicações dos dogmas do Velho Testamento acerca dos atributos das diferentes raças, especificamente "A Maldição de Cam". Analisa a fracassada experiência democrática da Serra Leoa, a Revolução do Haiti, a primeira revolução escrava bem sucedida da história, demonstrando como ele passou da colônia mais rica das Américas ao país mais pobre do hemisfério norte. Este episódio trata, ainda que de forma superficial, da chamada "democracia racial" brasileira. Por fim, conclui-se que a força motriz por trás da exploração e escravização dos chamados "povos inferiores" foi a economia, e que a luta para apagar e cicatrizar os feitos e legados deixados pelo sistema escravocrata ainda continua. Episódio 2 Impactos Fatais: É a mais superficial das diferenças humanas, tem apenas a profundidade da pele. No entanto, como construção ideológica, a ideia de raça impulsionou guerras, influenciou a política e definiu a economia mundial por mais de cinco séculos. O programa aborda as teorias raciais desenvolvidas na era vitoriana, a eugenia, o darwinismo social e o racismo científico, desenvolvendo a narrativa a partir da descoberta dos restos mortais encontrados no deserto da Namíbia pertencentes às primeiras vítimas do que ficaria conhecido como campo de concentração, 30 anos antes de o nazismo chegar ao poder na Alemanha. Tais teorias levaram ao desenvolvimento da Eugenia e das políticas raciais nazistas. O documentário sustenta que os genocídios coloniais, o campo de morte da ilha de Shark, a destruição dos aborígenes tasmanianos e os 30 milhões de indianos vítimas da fome, foram apagados da história da Europa, e que a perda desta memória encoraja a crença de que a violência nazista foi uma aberração na história daquele continente. Mas que, assim como os ossos ressurgidos no deserto da Namíbia, esta história se recusa a ficar enterrada para sempre. Episódio 3 Um Legado Selvagem: O programa aborda o cruel legado deixado pelo racismo ao longo dos séculos. Iniciando pelos EUA, berço da Ku Klux Klan, onde o pesquisador James Allen, possuidor de vasta coleção de material fotográfico e jornalístico sobre linchamentos, defende que há um movimento arquitetado para apagar a mácula racial da memória do país. A seguir, remonta à colonização belga do Congo, por Leopoldo II, onde os negros que não atingiam a quota diária de borracha tinham a mão direita decepada. O documentário trata ainda da problemática racial na África do Sul (Apartheid) e Grã-Bretanha, abordando a luta do Movimento pelos Direitos Civis nos EUA e a desconstituição do mito da existência de raças.

Os Maias e as Profecias do Juízo Final Parte 01 de 05

Resumo:Nossos dias estão contados, preparem-se para o juízo final. Conheçam o templo sagrado de uma civilização perdida e conheçam a verdade sobre a profecia maia. Os maias realmente enxergavam o passado e o presente com precisão extraordinária? A data exata do nosso fim estaria oculta em seus antigos textos? O tempo está se esgotando, a contagem regressiva começa agora. \

BATALHAS LENDÁRIAS: JOSUÉ, A MATANÇA ÉPICA

Resumo do documentário: Na sua primeira batalha para conquistar a Terra Prometida, as forças especiais de Josué infiltraram-se de forma secreta e destruíram Jericó desde dentro apesar de as suas muralhas serem consideradas impenetráveis. Os espias de Josué contaram com a ajuda de Rajab. Enquanto os exércitos de Josué rodeavam a cidade amuralhada, os Israelitas introduziram-se sigilosamente na casa de Rajab. Uma vez que conseguiram introduzir quarenta soldados, Josué e o resto do exército, que esperavam fora da cidade, tocaram os trompetes e atacaram. Os quarenta soldados apanharam a cidade completamente de surpresa e conquistaram-na. Apenas Rajab salvou-se do banho de sangue que percorreu Jericó inteiro.

África - uma história rejeitada

Documentário: A História Oculta do Terceiro Reich

Descrição: A fascinação de Hitler com a ascensão e queda da "raça ariana", a sua obsessão com a ordem e a disciplina, e seus messiânicos planos de controle total do mundo... desde as origens ocultas do Nazismo até a morte de seu mentor Adolf Hitler, a ascensão da doutrina do "Nacional Socialismo" foi construída tendo como base um mundo de sinistros acontecimentos e crenças, construído através da propaganda política e manipuladora. Agora, utilizando filmagens recentemente descobertas, este documentário explora este incrível fenômeno acontecido na Alemanha, durante as décadas de 30 e 40, e que deu origem à Segunda Guerra Mundial. Pela 1.a vez os assustadores rituais e crenças do nazismo, como a origem da cruz suástica e a construção do Holocausto, são explorados e desvendados para o público em 3 documentários sobre os segredos do terceiro Reich e que também descortinam o PAPEL FUNDAMENTAL DO MISTICISMO na doutrina extremamente racista de Adolf Hitler, notadamente os escritos de Madame BLAVATSKY (Teosofia), Guido von Lista (Ariosofia) e Jorg Lanz (Teozoologia).

A SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO DE PIERRE BOURDIEU

No vídeo abaixo podemos entender melhor as idéias de Bourdieu sobre a escola. O vídeo foi produzido pela Univesp TV para o Curso de Pedagogia da Universidade Virtual do Estado de São Paulo. O artigo abaixo destaca as contribuições e aponta alguns limites da Sociologia da Educação de Pierre Bourdieu. Na primeira parte, são analisadas as reflexões do autor sobre a relação entre herança familiar (sobretudo, cultural) e desempenho escolar. Na segunda parte, são discutidas suas teses sobre o papel da escola na reprodução e legitimação das desigualdades sociais. Para ler o artigo clique aqui